Momento do Mundo

O homem continua e continuará na busca incansável pela sua origem cósmica, mesmo antes da Grande Explosão do Big Bang, que se deu após longo silêncio e escuridão, antes da Grande Palavra de Deus que fez surgir a luz, o universo, galáxias, planetas, e o fascinante DNA DA VIDA.

O homem busca com muita ansiedade e incessantemente a História da Vida na Terra e no Espaço, a partir da descoberta da Cadeia Genética - DNA - e suas derivações. No momento presente o homem encontra-se pesquisando, pela primeira vez, o solo, as areias e águas de Marte - O Planeta Vermelho, o mais próximo da Terra, que também se encontra no Sistema Solar. A ciência do homem também descobre que as células embrionárias podem regenerar tecidos, curar doenças e até rejuvenescer células que garantem a longevidade. Enfim, nesse início de século XXI, o homem descobre através das diversas ciências, que a Terra não é mais o Centro do Universo.

Enquanto isso, as guerras continuam sendo mantidas pelos grandes poderes econômicos, o aquecimento global continua sendo a maior catástrofe do planeta porque com ele vêm as maiores crises climáticas da Terra, desde o "Primeiro Dilúvio"... Há mais de dois mil anos... No entanto, o homem, as ciências e as mais ousadas tecnologias da velocidade, ainda não conseguiram a vontade mundial maior de acabar com a fome, a miséria e as injustiças sociais em todo o mundo da economia e da política.

Enquanto isso, os Jogos Olímpicos de Pequim se aproximam e anunciam grandes e variadas tecnologias que a Humanidade estará assistindo, a partir deste mês de julho. Há uma grande contradição nesses Jogos. Após a grande violência do governo chinês contra o povo do Tibet, no período de abril-maio deste ano, que na realidade vem desde a segunda guerra mundial, com a expulsão de milhões de tibetanos e do próprio Dalai-Lama, a Tocha Olímpica foi a marca das grandes manifestações em todos os continentes, países e cidades por onde passou rumo a Pequim. Ela representou uma chama da esperança e da paz que os Jogos tentam representar e, ao mesmo tempo, a reação da humanidade contra o governo chinês. Lamentamos muito que as próximas Olimpíadas nos lembrem os momentos de violência, sangue e prisão do povo e dos monges budistas que desejam, há mais de 50 anos, a sua liberdade, cidadania e o respeito por sua cultura.

Mesmo assim, devemos também nos lembrar do que significam os Jogos Olímpicos da Humanidade, quando reúnem, desde a Grécia Antiga, a força e beleza do homem, através das diversas modalidades dos esportes e, principalmente, a reunião de pessoas que superem seus próprios limites físicos, para que haja uma grande reunião de seres humanos que competem nos jogos por diversos motivos econômicos, mas também pela Paz da Humanidade, em nome da Paz e de mais Esperança de um Mundo Melhor.

Hoje, dia 8 de julho de 2008, faz seis dias que o "Fórum Internacional de Mulheres do Futuro pela Paz do Planeta e do Mundo" comemoram a libertação da ex-Senadora colombiana Ingrid Betancourt, que ficou em cativeiro das FARC colombiana, durante 7 anos, ou mais de 2.200 dias, conforme notícias internacionais. Ela e os 14 companheiros que libertados, foram vítimas de muitos sofrimentos, humilhações e violências. Mas todos sofreram a maior das injustiças: A falta do direito à liberdade, além de todos os riscos de vida. Os outros mais de 400 companheiros continuam sob o comando das FARC, por questões de poderes políticos alternativos do mundo da América Latina.

Todos os que acompanharam o drama de Ingrid, de sua mãe, seus filhos e sua família, pelos meios de comunicação sabem que a partir do dia dois de julho de 2008, há seis dias, uma desse pesadelo foi encerrado para ela e os 14 companheiros libertados. Surge agora uma nova etapa de recuperação da saúde e superação dos traumas sofridos. A partir de então, novas campanhas e articulações deverão ser feitas em prol dos mais de 400 companheiros de Ingrid, outras mulheres e homens que merecem ser libertados. Sabemos que muitas mulheres foram mortas no cativeiro das FARC, mas não receberam uma linha da imprensa mundial, para que pudessem ser protegidas e libertadas.

A nossa Campanha "Gracias a La Vida", deseja que todos os mais de 400 reféns companheiros de Ingrid, sejam libertados através das articulações justas e apoio dos governos da América Latina, do Brasil e da livre imprensa. Acreditamos nas alianças governamentais e campanhas populares, para que libertados do cativeiro possam também ter a chance de serem livres e felizes com suas famílias! A própria ex-senadora da Colômbia irá trabalhar em articulações a favor da libertação dos seus companheiros de cativeiro imposto pelos rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, ou FARC, assim como dará continuidade ao seu trabalho social e político em prol dos Direitos Humanos, da Justiça e Paz da América Latina. Acreditamos que ela será conduzida ao governo da Colômbia, pelo povo colombiano.

Diante desses últimos acontecimentos mundiais, desejamos que os próximos Jogos Olímpicos de Pequim agora em julho de 2008, tragam ao mundo uma nova reflexão e atitude por parte dos governos que desejam mais poder e mais riqueza, como nesse caso da China, com a maior população do mundo, que com sua nova cultura capitalista está matando suas tradições, sua cultura milenar e impondo ao Tibet, leis ditatoriais. O governo e o povo chinês recentemente viveram a maior catástrofe climática, através de terremotos que mataram mais de 100 mil pessoas e destruíram dezenas de vilas e cidades. Mas o povo chinês, por sua cultura antiga de resistência, está reconstruindo suas vidas. Que o povo chinês saiba também dar um bom exemplo para a humanidade, nesses Jogos Olímpicos de Pequim de 2008. E que enfim, o Tibet seja Livre!

Nós, do "Fórum Internacional de Mulheres do Futuro pela Paz do Planeta", das Organizações e Grupos que participam de campanhas, manifestos, petições e fóruns em prol de ações eco-sócio-culturais da AVAAZ, do Artforum Mundi Planet & Artforum Brasil XXI, desejamos que o mundo seja justo, de paz e com uma "Consciência Maior", em relação aos Direitos Humanos, aos Direitos da Natureza e aos Direitos da Terra!

Que os governos, as sociedades e a humanidade preservem a Vida da Terra - uma linda Orbe Azul que flutua no espaço do Sistema Solar, e pede socorro aos mais de 6, 6 bilhões de habitantes! Aqui, dizemos também NÃO aos países do G8, que nada estão fazendo para a diminuição dos gazes industriais que poluem a nossa Casa Cósmica. Confiamos ainda, de certo modo, que os países do G5, incluindo o Brasil, possam ter o direito de participar das decisões mundiais, e assim dialogar com os países do G8, para urgentes acordos internacionais, em nome das grandes causas da humanidade e do Planeta.

O FUTURO É AGORA E NÃO EM 2050! DIZEMOS NÃO AOS PAÍSES POLUIDORES DO PLANETA! DIZEMOS SIM A TODA ATITUDE QUE AJUDE A PRESERVAR A TERRA E SUA NATUREZA, EM NOME DO PRESENTE E DO FUTURO!

Mundo, 8 de julho de 2008 - XXI
Ana Felix Garjan – Artforum Renaissance Vie Universelle